Paróquia de São Pedro Apóstolo - Ponta Verde

Multimídia

P. de São Pedro Apóstolo

Rua Gaspar Ferrari Moura, 251
Ponta Verde
Maceió - AL, 57035-100
(0xx)82 3231-7044

 

Horário de Missas

de terça a sexta às 17h

Sábado:  Às 17 e 19h

Domingo: Às 8, 17 e 19h

1ª Terça do mês: Missa de 

Cura e Libertação: 19h

A JUVENTUDE DO PAPA FRANCISCO PDF Imprimir E-mail
Côn.José Everaldo

papajuventude02Dizem que foram gastos exorbitantes gerados para a visita do Papa. Inverdade. Todos os gastos foram assumidos pela Igreja Católica que está no Brasil. Houve uma coleta nacional no último domingo de mês de Maio e com esses recursos, os católicos do Brasil contribuíram para a jornada mundial da Juventude. Nada, absolutamente nada, foi tirado dos cofres públicos.

Dizem que a Igreja deveria ser mais aberta, deveria apoiar as uniões homo afetivas, e inclusive ser mais tolerante com relação ao aborto e ao uso de drogas. Berram chavões, e chamam a imprensa para chocar nossa sociedade. Enquanto grupos minoritários defendem estas propostas, apoiadas pelos juristas positivistas, a Igreja defende a vida.

As uniões homo afetivas não são a expressão do rosto de Deus, não é a imagem viva do Senhor é algo que agride a ordem natural das coisas. Todos os homossexuais que já conheci são profundamente insatisfeitos com sua condição, não podemos achar que a dor de alguém pode ser aliviada impondo a Igreja e a maioria da sociedade um estilo de vida que agride a ordem natural da criação.

E a homossexualidade na Igreja? A Igreja está se purificando deste mal. A Igreja quer ministros que honrem os seus quadros. Por isso, há um esforço imenso para formar padres santos, sábios e sadios em nossos seminários. Todo membro carcomido pelos vícios e os pecados será duramente punido e convidado a se retirar do clero.

O aborto é um crime. Não há diferença alguma em matar alguém adulto e matar um ser humano em fase de gestação. O papa disse algo muito forte na Itália vivemos um tempo de “globalização da indiferença”, a indiferença à morte do semelhante é a maior vergonha do terceiro milênio e jamais a Igreja haverá de tolerar a morte como meio para resolver problemas secundários.

As drogas neutralizam as potencialidades dos homens, quantas pessoas que poderiam produzir muito e construir uma sociedade nova. Nas drogas vivem como zumbis, mortos vivos num vazio existencial sem limites. Esta escravidão produzida pelos “mercenários da morte” como diz o papa Francisco, é uma situação intolerável. O Estado, a sociedade, as instituições sociais devem se empenhar para exterminar esta erva daninha que destroem a família e a sociedade.

Ateus usam secadores de cabelos para secar a água do batismo. E o que este gesto agressivo trás de escândalo e prejuízo para a Igreja? Enquanto um grupo inexpressivo toma esta atitude, mais de três milhões de jovens se concentram na Jornada Mundial da Juventude e se orgulham de ser cristãos, de serem membros da Igreja – discípulos missionários de Jesus Cristo - e mais de quatro milhões de cariocas são contagiados pelo sorriso, alegria e delicadeza do papa Francisco e da juventude que partiram dos quatro cantos do mundo para se encontrar com ele.

A humildade do Papa Francisco silenciou a todos que se levantam contra a Igreja e o Evangelho. E a santidade de nosso papa honra e orgulha nossa Igreja e enobrece a todos os que acreditam na verdade das palavras de Jesus.

De fato, a sociedade precisa de um Pai e parece que nossa sociedade descobriu o pai que todos buscamos e ansiamos. Não precisamos de ouro nem prata, mas precisamos de um pai que nos aponte Jesus Cristo como caminho, verdade e vida. E é esta verdade que o Papa Francisco vem nos relembrar. Por isso, o grito que ecoa no Brasil é o grito da juventude: “Somos jovens do papa Francisco”. E o grito dos rincões desse país é esse “descobrimos não um papa, mas um pai cheio de amor”.